terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A PRINCESA E O SAPO - PROF DA ÂNIMA TRABALHA COM DISNEY



O mais novo desenho animado da Disney conta com um professor da Ânima em sua produção: Maurilio DNA fez parte da equipe de animação do desenho e conta um pouco para você sobre o trabalho.
Anima: Como você descobriu que você gostava de trabalhar com desenho animado?
DNA: Acho que e comecei a gostar de desenho animado como todo mundo, quando é criança. Conforme fui descobrindo o desenho, uma das coisas que eu desenhava eram meus heróis favoritos dos desenhos animados, principalmente os japoneses. Mas, só depois de mais velho, e depois de dar aula de desenho, no caso mangá, por um tempo, que eu acabei fazendo um curso de desenho animado e vendo como é legal trabalhar com isso.
Ânima: Como foi trabalhar em um estúdio como a Disney?
DNA: Estúdios grandes cobram, em geral, muita qualidade e rigor com os prazos. Com a Disney não foi diferente. Para entrar no projeto, eu tive que fazer um teste, onde eu animei a princesa do filme, isso testou a qualidade do meu trabalho. Mesmo assim, em alguns casos, tive que refazer uns poucos desenhos que eles deixaram de aprovar em umas sequências.
Ânima: Qual sua opnião sobre o mercado de animação para os profissionais brasileiros?
DNA: No Brasil existem alguns ramos em que se pode trabalhar com animação. A publicidade é o mais forte, e que paga melhor. Existem estúdios de animação também, que fazem os mais variados projetos, mas no geral não remuneram direito. O ramo é bem difícil, tem profissionais muito bem qualificados, mas parece que o empresário brasileiro neste ramo, principalmente os que conseguiram um certo sucesso, têm medo de serem sobrepujados pelos novos talentos e acabam sabotando-os, segurando essas pessoas em troca de promessas de trabalho.
Ânima: Em A Princesa e O Sapo, como foi a produção do desenho?
DNA: Eu recebia um pacote com uma sequência, geralmente de 30 a 60 quadros. Os quadros vinham todos esboçados e os quadros chaves, os mais importantes, vinham "clinados", ou arte-finalizados. Então, seguindo os esboços, eu fazia os desenhos do meio das chaves finalizadas, o que chamamos de intervalar, e já "clinava" elas também. O esboço era feito com lápis vermelho, que não sai no scanner, e finalizado com lapiseiras 0,5 e 0,3mm, com grafite 2B.
Ânima: O processo da Disney é diferente, pois eles trabalham com vários animadores você poderia explicar isso um pouco mais?
DNA: O estúdio principal faz o roteiro, toda a arte conceitual do desenho e praticamente anima tudo em esboço. Fazem isso para conferir se o "timing" está bom. É tudo muito bem planejado e dividido. Com tudo em ordem, o trabalho é enviado. Algumas equipes fazem cenários, outras modelam objetos 3D que serão usados nas cenas, outras animam personagens específicos, e por aí vai. Depois de tudo pronto, pintado, animado, eles montam as partes, adicionam o som, uma vez que os diálogos foram gravados antes da animação ser feita, e editam o filme, como um feito com pessoas reais. O produto final é o que se vê no cinema.
Ânima: Você esta montando uma nova turma para o curso de animação, o que os alunos poderão ver no curso?
DNA: No curso de desenho animado, vou abordar os princípios básicos da animação: timing, distorção, movimento, etc. Também vou mostrar como criar e animar um personagem. Como sou fã tanto de desenhos americanos quanto de japoneses, vou procurar unir o melhor dos dois mundos e despertar no aluno essa paixão por desenho animado. Mas não se iludam, pois o trabalho vai ser árduo!
A Princesa e o Sapo já está nos cinemas de Campinas, então corra e confira o trabalho na telona!

2 comentários:

Israel Junior disse...

Parabéns Maurílo.
É isso ae cara, muito bom.

Daniel Kawasaki disse...

Surpreendente, Maurilio! Disney?? Parabens!! Espero q outros projetos como esse venham em seguida.

Abraços!