terça-feira, 30 de novembro de 2010

Concurso - Cartão de Natal SindCon

Arte de Tiago Loureiro Chaves

O Sindicato dos Contabilistas de Campinas realiza todo ano um concurso para escolher seu cartão de Natal. São várias categorias e muitos participantes.

Alguns alunos da Ânima participaram desta XVI edição do Concurso Cartão Oficial de Natal do SindCon e gostaríamos de parabenizar os participantes e, principalmente, alguns premiados!

Menção Honrosa - Categoria entre 03 e 16 anosEsther Maria Veiga da Silva
Gabriela da Rocha Teixeira

Medalha de Ouro - Categoria entre 11 e 16 anos


Tiago Loureiro Chaves

Parabéns aos alunos e seus professores!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

New York ComicCon e AnimeFest New York


No ínicio de outubro eu e o professor Marcelo Ferreira estivemos em Nova York para conferir de perto a ComicCon NY, que este ano englobou ainda um evento de mangá, o AnimeFest.

Este post fala um pouquinho da experiência e é parte de um artigo que escrevi para a revista NeoTokyo, da editora Escala. Quem quiser conferir o artigo na íntegra... vai ter que comprar a revista! :p

Sobre a ComicCon, é fácil falar: Esqueça os eventos que você já viu no Brasil. A ComicCon NY é o segundo maior evento dos Estados Unidos e agora juntou-se ao AnimeFest. O resultado? Um evento gigantesco! Professor Marcelo Ferreira
Nos dias 08, 09 e 10 de outubro de 2010 aconteceu na cidade de Nova York a 5ª edição da ComicCon, o segundo maior evento de quadrinhos dos Estados Unidos. Este ano o evento de anime/mangá Anime Festival se fundiu a ComicCon, fazendo uma só convenção.
Cosplayers, palco com atrações, estandes com bottons, pulseiras, camisetas... Parece um evento aqui no Brasil. Mas não é. A feira de Nova York tem muito mais atrações, é muito maior e pode te levar à loucura, se você não estiver preparado para andar bastante e, é claro, gastar muito dinheiro!
A NY ComicCon é o maior evento da costa leste dos Estados Unidos e o segundo maior do país, só perdendo para a ComicCon San Diego. É uma convenção que reúne fãs de quadrinhos de toda a parte do mundo e a 5ª edição contou com estandes fenomenais: Bandai, Sega, Nintendo, Wacom, Capcom, editoras grandes e pequenas (Marvel, DC, Dark Horse...), TokiDoki.
O ingresso era vendido como no Brasil, por dia ou o pacote com os três dias, antecipado saía 10 dólares o ingresso para sexta, sábado e domingo. Uma pechincha. Dentro da convenção eram mais de quinhentos (sim, leitor, o número está correto: 500) estandes de tudo o que você possa imaginar. Sabe as tradicionais barracas de pulseiras, bandanas de naruto, posters e camisetas? Pois é, elas estavam lá também, mas o “resto” da feira, era muito, muito, MUITO mais interessantes. Estandes vendiam de tudo: bonecos, garage kits, action figures, cosplays, quadrinhos de todos os tipos (tinham fileiras infinitas de estandes vendendo quadrinhos!) – americanos e japoneses –, materiais de arte, arte original de artistas famosos como Alex Ross (se você não sabe quem é faça o favor de ir AGORA MESMO até o Google!), games, CDs e DVDs, apetrechos para IPhone...
Jacob K Javits Center
O evento aconteceu no Jacob K. Javits Center, um centro de convenção construído em 1986 e que conta com mais de 62.000 m2 (sim, de novo, o número está correto). Isso deu à feira uma dimensão monstruosa, sem falar na praça de alimentação, que tinha lugar pra todo mundo sentar e comer com calma. Tudo muito organizado e sinalizado.
Os Estados Unidos é conhecido por ter os fãs mais ardorosos de quadrinhos, especialmente quando falamos de quadrinhos de super-heróis. Ao juntarem a ComicCon com o evento de anime/mangá, a feira ficou completa e a diversão foi garantida.
A ComicCon e o AnimeFest tiveram espaços separados, mas públicos dos dois eventos se misturaram pela convenção, afinal tinha muita coisa legal pra ver e fazer.
Quando vamos a um evento aqui no Brasil tem sempre um ou dois cosplays que chamam a nossa atenção, não é? Pois bem, na ComicCon pra onde quer que você olhasse tinha um cosplay fantástico esperando para que você o fotografasse. Os fãs da saga Star Wars são os mais cuidadosos e fanáticos: Darth Vader, jedis, Princesa Leia, Luke Sywalker, Princesa Amidala, Anakin Skywalker... Todos perfeitos! Vários Batmans, Coringas e outros super-heróis. Tinha até um grupo vestido de Predadores! Fica difícil de tirar foto de todo mundo, porque é muita gente, o espaço fica apertado e você nem sabe pra onde olhar de tanto cosplay bacana.
Na linha dos animes o top do momento parece ser Vocaloid, vários cosplays encarnaram os personagens e fizeram muito sucesso. Naruto, Bleach e One Piece vinham logo em seguida na ordem de quem estava fazendo mais sucesso. Muitos cosplays de Soul Eater (que foi licenciado por lá, para nossa inveja...), Sakura Card Captor, Tsubasa Reservoir Chronicle e até aquelas famosas e também conhecidas por aqui Sailor-Macho (eca!), quando uns caras já mais velhos (e de perna peluda) resolvem se vestir de Sailors...
Fora do Brasil eventos não são coisa “de fã para fã”. São feiras sérias, muito bem organizadas, com vários meses de antecedência (no último dia da ComicCon já tinha um banner gigante na porta do Javis Center avisando a data da ComicCon de 2011!).
A visão tanto de organização quanto de quem vai ao evento é totalmente diferente. Os fãs vão para ver os artistas que estão na convenção e para comprar. E comprar muito.
Fora do Brasil os otakus não vão ao evento para se encontrar e ficar zoando no meio da feira ou ficar apenas perambulando por lá. Eles têm muito que fazer. Além do tamanho da feira, há inúmeras salas onde acontece de tudo: palestras, mesas-redondas, análises de portfólio, debates, exibição de animes. Tudo com displays na porta de cada sala que tem a programação completa dos dias de evento. E não são palestras do tipo “dublador de Naruto conta piadas ao vivo”, são palestras sérias, que discutem trabalhos de animadores, desenhistas... Uma das mais legais fazia uma análise dos trabalhos de Hayao Miyazaki (de novo, se você não sabe quem é... Google, AGORA!) e sua carreira dentro do mundo da animação japonesa.
Uma das coisas mais legais que vimos em Nova York foi o valor que se dá ao trabalho do artista. Além dos mais de quinhentos estandes existe uma parte da feira que se chama Artists Alley, onde mais de duzentos profissionais (famosos ou não) expõe seus trabalhos e vendem originais, prints, sketchs feitos na hora, fanzines, dão autógrafos e tiram fotos. É uma atração à parte e na 5ª ComicCon estavam grandes nomes como Adam Hughes, David Mack, os gêmeos brasileiros Fábio e Gabriel, David Lloyd (Google de novo?)... Além deles muitos outros artistas estavam presentes vendendo seus desenhos e tinham sketchs rápidos custando de 10 a 600 dólares. Sim, sim. E tinha fila pra comprá-los. A Arte e o artista são muito respeitados e os desenhistas de quadrinhos são muito queridos por lá, às vezes transformados em deuses, com trabalhos originais chegando a custar cerca de seis mil dólares (como é o caso do famosão Alex Ross).

Os Gêmeos dos Quadrinhos: Gabriel e Fábio

Para quem gosta de desenho a ComicCon é um prato cheio. Lá dentro tem estandes das principais lojas de arte da cidade, sem falar dos estandes de marcas de material como a americana Prismacolor e a japonesa Copic. Material de arte de primeira, às vezes bem barato, às vezes nem tanto.

O desenhista de Nick Fury, Jim Steranko


O desenhista brasileiro Ivan Reis
Além disso, não há dinheiro no mundo que pague você conhecer um artista que você gosta, vê-lo desenhar bem ali, na sua frente, e ainda de quebra conversar um pouco com ele. São artistas de todas as partes do mundo, americanos, coreanos, italianos, japoneses, chineses e até brasileiros. Todos muito solícitos e educados! É nessa hora que a gente se dá conta em como tem coisa bacana sendo produzida por aí e a gente nem fica sabendo. Há um universo enorme de quadrinhos fora das bancas de jornais e das grandes editoras, coisa muito boa que a gente nem imagina que exista.
E se você já desenha e está pretendendo se tornar um profissional do grande mercado, é preciso mesmo ir à ComicCon. As grandes editoras Marvel e Dc Comics só recebem amostra de trabalhos durante as convenções e lá que fazem entrevistas e seleções com possíveis candidatos. As outras editoras montam comissões de profissionais para ver portfólios, dar dicas e fazer críticas aos trabalhos de quem quer fazer testes: é o melhor lugar para você fazer contato com esse mundo.
Desenhista da DC Comics, o fantástico Adam Hughes
Em suma, foi uma viagem muito legal, aprendemos muito, trouxemos muita informação e coisas bacanas de volta. Se você é fã de quadrinhos e tiver a possibilidade de ir a um evento desses um dia, VÁ! Tenho certeza de que você não vai se arrepender!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Visita ao Acervo do MASP

No dia 02 de novembro de 2010 a Ânima Academia de Arte organizou uma excursão ao Museu de Arte de São Paulo, o MASP, pra que os alunos pudessem ter oportunidade de conhecer o acervo do museu.


O MASP é hoje o maior e mais importante museu do Hemisfério Sul e seu acervo é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1969, contando atualmente cerca de 8.000 peças, dentre as quais destacam-se as pinturas ocidentais, principalmente italianas e francesas. Do século XIII aos dias de hoje, pode-se apreciar Rafael, Mantegna e Botticceli – da escola italiana – e Delacroix, Renoir, Monet, Cèzanne, Picasso, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Van Gogh, Matisse e Chagall – da chamada Escola de Paris.
Possui também uma grande coleção de pinturas da escola portuguesa, espanhola e flamenga, além de artistas ingleses e latino-americanos, como Diego Rivera. Dentre a coleção de artistas brasileiros, destacam-se Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Junior.

Dentre as esculturas, destacam-se os mármores da deusa grega Higéia do século IV a.C. e a coleção de 73 esculturas de Degas, que só podem ser vistas integralmente no MASP, no Metropolitan Museum de Nova York, ou no Museu D`Orsay, em Paris. Também destacam-se os bronzes de Rodin, as peças de Ernesto di Fiori e Victor Brecheret, entre outros.

Coleções de gravuras, fotografias, desenhos, arqueologia, maiólicas, tapeçaria e artes decorativas européias, além de uma grande coleção de peças kitsch, também fazem parte do acervo do museu.


Durante o passeio foram sorteados brindes aos alunos.

A convite do Museu d`Orsay de Paris, integra o “Clube dos 19”, do qual participam apenas os museus que possuem os acervos de arte européia mais representativos do século XIX, como Museu d´Orsay de Paris, Metropolitan Museum de Nova York, The Art Institute of Chicago, Museum of Fine Arts de Boston, Van Gogh Museum de Amsterdã, a Kunstaus de Zurique, Hermitage de St. Petersburg, a Galleria Nazionale d´Arte Moderna de Roma e National Gallery e Tate Gallery de Londres.




O edifício sede do museu, com 11.000 metros quadrados divididos em 5 pavimentos e com vão livre de 74 metros, é um ícone da cidade de São Paulo. Em 1982 foi tombado pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado e em 2003 pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Além de museu, o MASP é um centro cultural que proporciona diversas atividades ao público, como escola de arte, ateliês, espetáculos de dança, música e teatro, palestras e debates, cursos para professores, entre outras tantas atividades realizadas durante todo o ano.

O restaurante do museu é uma atração à parte!



Durante a visita os professores Emerson Penerari e Gisela Pizzatto falaram aos alunos sobre as obras mais importantes e sobre os movimentos artísticos que podem ser vistos no Museu.












Agradecemos à presença de todos, o passeio foi muito bacana, quem não teve a oportunidade de ir precisa se organizar para o próximo!

video