segunda-feira, 28 de março de 2011

Entrevista: Stephanie Pui-Mun Law


A professora Gisela Pizzatto entrevistou Stephanie Pui-Mun Law, artista americana de descendência chinesa. Aquarelista de mão cheia, Stephanie já lançou vários livros de arte, inclusive alguns que ensinam como pintar com aquarela. Confira a entrevista*!

Fale um pouco sobre onde você vive...
Bom, eu tenho descendência chinesa, mas sou nascida e criada nos Estados Unidos. Atualmente vivo em Oakland, na Califórnia.

Você é formada em Arte? Como começou a usar aquarela?
Não sou formada. Estudei na Universidade de Berkeley, na Califórnia, Na área de Ciência da Computação, onde eu também aprendi um pouco de arte. Mas o programa de arte da Berkeley era muito focado em expressionismo abstrato. Eu só comecei a trabalhar com aquarela um ano depois que eu me formei. Na época (1999) o trabalho de arte que eu fazia era praticamente todo digital e quando mandei meu portfolio para o diretor de arte de uma companhia na qual eu queria muito trabalhar ele me disse que havia gostado do meu trabalho, mas que eles não usavam muita arte digital! Ele disse ainda para que eu mandasse meu portfolio novamente quando tivesse mais coisas tradicionais, pois ele tinha ficado interessado no meu trabalho. Pouco depois dessa resposta eu passei por São Francisco, visitando algumas galerias de arte com meu tio, e acabei conhecendo o trabalho em aquarelas de Daniel Merriam. Depois disso, eu tirei do baú minhas velhas aquarelas e tratei de fazer algumas experiências. Alguns meses depois, mandei meu portfolio mais uma vez para aquela mesma companhia, mas desta vez com pinturas em aquarela e acrílico. O diretor de arte com quem eu tinha inicialmente falado não trabalhava mais lá, e o cara que estava no lugar dele me disse: "Claro que trabalhamos com arte digital!". Mas eu já havia sido fisgada pela aquarela.

Que tipo de material e marcas você costuma usar?
Para a maior parte do meu trabalho eu uso:
Papel: Strathmore lightweight illustration board - série 500
Pincéis: Winsor & Newton série 7 - Marta kolinsky e Utrecht Art -Marta vermelha
Tintas: Aquarela Winsor & Newton e Pigmentos Kremer (misturados com água e goma arábica)

Você já publicou uma série de livros mostrando seu trabalho. Quantos foram publicados e como foi a experiência? Foi muito difícil?
Tenho 8 livros publicados atualmente. Alguns foram convites de editores, e outros (mais recentemente) eu públiquei por conta, usando um selo próprio, a Shadowscapes Press.
O primeiro a ser publicado foi "Such is the Way of the Faeries" (algo como Assim é o jeito das Fadas), produzido pela Elmore Publishing. Essa publicação nasceu de um encontro com Larry Elmore em uma das minhas primeiras participações na feira de quadrinhos GenCon. Larry estava juntando alguns projetos e depois de ver meu trabalho ele me perguntou o que eu achava de publicar um livro. Quase morri de emoção!

A série "Dreamscapes" (-que pode ser encontrada na seção de importados aqui no Brasil-) saiu pela Impact Books. A Impact é especializada em livros que mostram técnicas (do tipo "how to do") e um dos editores, Pam Weisman, achou meu trabalho na Elfwood (comunidade de Fantasia e Ficção Científica (www.elfwood.com). Eu havia escrito um tutorial de tinta acrílica por volta do ano 2000, quando eu ainda usava muito essa tinta e toda a informação estava bem fresquina na minha cabeça... Pam viu o tutorial, assim como outros à lápis e de aquarela que eu disponibilizei no meu site e quis saber se eu gostaria de fazer um livro inteiro de tutorial de aquarela usando fadas, anjos e sereias como tema. Eu aceitei e com o sucesso do primeiro livro criei mais um e estou terminando o manuscrito de um terceiro que será lançado em 2012.
O livro e cartas "Shadowscapes Tarot" foi totalmente escrito e pintado por mim antes de eu começar a trabalhar com editoras. Eu queria manter total controle criativo e também de ter tempo flexível para esse projeto, então só comecei a tratar com editores quando faltavam algumas poucas cartas para terminar.
E então os livros "Art of Shadowscapes Tarot" e "Inklings" foram produzidos por mim mesma, pela minha editora, a Shadowscapes Press. Eu amei fazer esses projetos porque tive total controle do começo ao fim, e é uma sitisfação muito grande ver o resultado de anos de trabalho publicados nesses volumes.
Onde normalmente você busca inspiração para o seu trabalho?
Na maior parte das vezes de histórias - mitologia, lendas e folclore de todas as partes do mundo. Também me inspiro em movimento - dança e natureza.

Você ensina Arte?Eu já dei alguns workshops, quando trabalhei com a Impact, mas nada além disso.

Sites da artista:
- puimun.deviantart.com
- http://shadowscapes-stephanielaw.blogspot.com/

*Esta entrevista foi originalmente publicada no jornal deviantArt Times (25/02/2011)

Um comentário:

Emerson disse...

Muito legal! São artistas assim que o mundo precisa. Mulher acessível, humilde e que desenha muito! E é amiga do Larry Elmore! Da horaaa!

[]´s
Merso