quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Ânima Entrevista a Designer de Joias Adriana Justi

Trabalhando no mercado de Joias Artesanais, Adriana Justi dá aulas de Design de Joias na Ânima. Com um currículo estrelado, premiações no exterior e projetos muito legais vindo por aí, Adriana conta um pouco mais sobre o trabalho com joias.

Adriana Justi em ação

1- Como você entrou no ramo da joalheria e da arte? O que veio primeiro, o desenho ou a parte artesanal?

A arte sempre fez parte de minha vida, desde muito cedo... o desenho, talvez já tenha nascido comigo! Desenho desde sempre, fui designer gráfica e projetista de móveis, e também, fiz artesanato (meu primeiro trabalho foi na feira "hippie" de Campinas!), estudei música no Conservatório, toquei instrumentos, envolvi-me com o teatro... a joalheria veio bem depois, há alguns anos somente, mas veio para ficar!

2- Quais suas influências como artista?

Inúmeras, mas principalmente a obra e personalidade de Leonardo da Vinci, e todo o período Art Nouveau. Gosto muito de René Lalique, Mucha, Klimt, desse período. Salvador Dalí também me inspira, e, mais atual, o traço e a delicadeza de Sarah Simblet.
Os joalheiros contemporâneos de quem gosto, e que me influenciam, são os brasileiros Antonio Bernardo e Ruth Grieco.

Anel Ópera Mist 2

3- Como é o seu processo de produção? Quais são os materiais que trabalha com mais frequência?

O processo pode variar, não sou uma pessoa metódica; mas geralmente começa na ideia que forma uma imagem, e pode vir no trânsito, em um sonho, durante a meditação... mas também posso compor de forma racional, no caso de indicações específicas de algum cliente.
Depois passo ao registro dessa ideia, no papel, e por fim, parto para a 'materialização', que é tentar transformar o metal nobre nessa peça que só existia em imagem, na minha mente.
O processo para isso é o da ourivesaria tradicional. Uso metais nobres como ouro e prata, e também pedras preciosas naturais.

4- Você também dá aulas Design de Joias: que tipo de coisa o aluno aprende no curso?

O aluno aprende desde as noções básicas do desenho, por isso o curso não tem nenhum pré-requisito. Mais do que ensinar formas fixas no desenho, faço entender o porquê da forma.
Vamos desenvolvendo os recursos de expressão visual, desde o muito básico, passando pelo desenho em perspectiva, desenvolvimento da criatividade e estilo pessoal, e também, o que é muito importante, sobre as diversas técnicas de ourivesaria, ou produção de joias. Penso que esse é um grande diferencial para quem deseja ser um verdadeiro designer - saber como as coisas funcionam, e que muitas vezes ficam longe do que seria ideal. Existem casos em que o desenhista se apresenta para vender seus trabalhos a produtores, mas seus projetos demonstram um extremo despreparo no que toca o conhecimento dos mecanismos de produção de joias, manual ou industrial.
Durante o curso converso muito sobre isso, e ofereço o conhecimento das técnicas e possibilidades, para que o aluno saia muito bem preparado.

Brincos Ópera Mist com Citrinos

5- Sabemos que seus trabalhos lhe renderam algumas premiações e são admirados em diversos lugares. Poderia nos falar um pouco sobre isso?

Na verdade, recebi uma Menção Honrosa em Paris, em 2012, e em 2013, uma premiação pelo destaque na área profissional. Foi maravilhoso, de certa forma esses reconhecimentos validam o trabalho de um artista, num âmbito maior do que a sua oficina.
Mas para mim, o prêmio que gratifica mais é com certeza a satisfação de meus clientes, quando recebem e gostam de suas novas joias. Adoro entregar pessoalmente as encomendas, mas isso nem sempre é possível, pois atendo clientes em outras cidades, estados, e até em outros países... mas saber que gostaram da peça, é o que me deixa verdadeiramente feliz!

6- Hoje em dia, com a aparelhagem mais em conta e com a alta divulgação na internet, podemos esperar uma safra maior de artesãos no segmento da joalheria?

Acho que sim, e tomara! Principalmente as mulheres estão pouco a pouco descobrindo esta profissão, que era até uma década atrás, dominada pelos homens...
A ourivesaria, diferente do que muitos possam imaginar, não é um trabalho que requer força física (a não ser para alguns poucos procedimentos), mas antes, delicadeza, sensibilidade e paciência.
Os brasileiros, principalmente, são extremamente criativos, e tenho visto muitos trabalhos de nível internacional saindo de pequenas oficinas.

Anel La Nuit, Le Bleu

7- E o mercado para os artistas da área? Você pode nos dizer como é a aceitação e a procura pelos designers?

Bem, acho que poderia ser maior a procura, vemos infelizmente ainda um grande número de pessoas que buscam cópias de modelos vistos em novelas, revistas, e coisas do gênero. Trabalhos desse tipo não gosto e não faço.
Mas sinto que a tendência é melhorar nesse sentido, e espero que cada vez mais pessoas despertem para a individuação, busquem suas próprias identidades. Quando nos libertamos da expectativa alheia, nossas vidas ficam melhores, mais belas!

8- Quais são os seus projetos em andamento? E quais os projetos futuros na área da joalheria artesanal?

Estou agora envolvida em um projeto com várias joias, algumas feitas especialmente para um filme de curta metragem muito interessante. Tem sido uma experiência muito boa, e que pretendo continuar!
Penso também em uma pequena linha de joias em série, mais comercial; essa idéia ainda está em desenvolvimento, para os próximos anos.

Orquidarium 3

9- Muito obrigado, Adriana! Por favor, deixe aqui alguma dica para quem deseja iniciar neste ramo.

O fundamental é o preparo: primeiro, o aspirante a joalheiro deve fazer um bom curso, de desenho e design, para começar a entender como é o metier, o que esta profissão exige, e, claro, ser capaz de registrar no papel a forma de sua idéia; em seguida, ou ao mesmo tempo, procurar uma boa escola de ourivesaria. Em Campinas posso indicar bons profissionais.
E ainda, ler muito, sobre joalheria, e também, sobre outros assuntos que sejam de seu interesse pessoal, porque para ser um bom 'compositor' de joias, quanto mais referências, melhor!

Se interessou? Que tal ligar na secretaria da Ânima e se informar melhor sobre o curso de Design de Joias? (19) 3342-2992 ou pelo e-mail atendimento@anima.art.br.

Orquidarium 4

Nenhum comentário: