quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Esse Google...


As coisas acontecem e me fazem pensar...
Ensinar realmente importa? Numa época em que o Google sabe tudo, fico pensando se o trabalho do professor é realmente algo que não dá pra viver sem.

Ser professor é algo que eu nunca quis para a minha vida e ainda assim é algo que não posso deixar de ser. Eu amo isso, eu estou viciada. E, ainda, muitas vezes isso me deixa brava, cansada e até mesmo triste.

Trabalho de aluna de mangá da Professora Gisela

Eu sei que vai soar um pouco como uma tia velha falando, mas eu sinto que isso é verdade: a internet arruinou tudo. Agora as pessoas querem tudo e querem rápido. As pessoas querem aprender rápido. E como você faz isso? Como você faz isso sem muita prática e amor e carinho? Eu não sei. E os alunos querem aprender rápido, para terminar rápido. Eles não têm a paciência que um bom trabalho de arte precisa. Oh, sim, eu já estive aí! E eu tenho vergonha de mim mesma, devo ter deixado meus professores loucos. Desculpe mestres...

Trabalho de aluno de mangá da Professora Gisela

Mas eu tento fazer esses pequenos gafanhotos entenderem. Às vezes não vale a pena. Eles simplesmente param, desistem e vão embora sem arrependimentos. Eu fico um pouco chateada, mas eu sei desde o começo quem vai ficar até o fim e quem não vai. Então, não tem grandes surpresas até aí certo? Mas o legal da coisa é quando um aluno tira seu fôlego com um negócio pra lá de formidável e você pensa "não pode ser que fui eu quem levou esse aluno para esse caminho!”. Mas foi.

Trabalho de aluna de mangá da Professora Gisela

A melhor parte de ser professor, especialmente professor de arte, é ver os trabalhos dos seus alunos e ter orgulho deles. Sentir orgulho por eles. Eu sempre digo que eu não posso viver sem meus alunos. E é verdade: no momento em que eu piso na sala de aula, todo o mundo exterior desaparece e eu estou feliz. E eu aprendo muito com eles. Novas ideias, um novo ponto de vista...

A parte triste é quando eles vão embora - e é claro que isso sempre acontece - faz parte do processo. É como se você tivesse um buraco no seu peito em algum lugar e você não pode descobrir onde ou por quê. Mas isso passa, e novos alunos virão. Mas os antigos, aqueles que você realmente tocou no fundo de seus corações, eles sempre estarão de volta para você, eles voltam com um monte de notícias, conquistas. E você vai se orgulhar novamente. E você também vai aprender com eles novamente.

Sketches de aluno de mangá da Professora Gisela

Quero saudar cada professor e cada aluno que está lendo estas linhas. Não importa o quanto o Google sabe, ele nunca vai ser capaz de ensinar como um professor, ele nunca será capaz de tocar a alma de alguém. Nunca vai poder se orgulhar.

A exposição anual da Ânima é um pouquinho desse orgulho também. É mais um jeito de mostrarmos os trabalhos dos nossos alunos, de dizermos pra todo mundo o quanto estamos orgulhosos deles.
E você que ainda não viu a exposição desse ano, não perca! Antes de sair pela cidade e região, ela vai ficar até 22 de novembro no Hotel Vitória Newport. Passa lá, confira o motivo do nosso contentamento. Ah, e preste bem atenção nos trabalhos, porque todos estão MUITO legais. Mas aqueles mais lindos, mais legais e mais "super supers" são, é claro, os trabalhos dos meus alunos!  ;)
(clique AQUI para ver algumas das obras da exposição!)

Professora Gisela Pizzatto.

Um comentário:

Teca Pizzatto do Prado disse...

Entendo perfeitamente tudo que vc disse. Com o Google é tudo mais rápido, a pessoa tendo uma certa aptidão aprende rapidinho mas não há aquela interação, aquele sorriso de aprovação, aquele calor humano. Não há amor. Isso seus alunos tem e bastante. Além de te conhecer muito bem, sou aluna a escola também.
Já faz tempo, li um livro e uma frase ficou impressa em mim.

" O professor se liga à eternidade; ele nunca sabe onde cessa a sua influência"
Henry Adams.
Do livro A Última Lição.

TecaPrado