quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Conhecendo Materiais: Lápis Grafite


Fonte: http://www.vat19.com/dvds/woodless-graphite-pencils.cfm

Desenhar a lápis é uma das mais acessíveis formas de expressão artística. Em poucos momentos pode-se traçar em um papel uma esboço visual, passar um olhar, uma ideia, impressão ou captar uma atmosfera. É o coração do trabalho de um artista.

História

Os lápis geralmente são feitos de grafite, a forma natural do carbono, criado, como o carvão, pela pressão da terra nas florestas pré-históricas.

O grafite sólido foi descoberto em Cumbria, na Inglaterra, por volta de 1500 AD e seu uso no início era como molde para canhões. As fábricas de lápis passaram a usar o grafite apenas depois de 1600 AD.


Fonte:  http://powerlisting.wikia.com/wiki/Graphite_Manipulation

O Lápis Hoje


Fonte: https://www.drawing-tutorials-online.com/members/login.cfm?hpage=Step_Two%20-%20Pencils.cfm

Atualmente temos alguns modelos principais de lápis. O padrão é o hexagonal de 7 polegadas (17,5 cm) e o grafite com 2 mm de diâmetro. Versões do bastão arredondado ou com grafites de 4mm de diâmetro também são comuns.

Para apontar o lápis, o indicado são estiletes, pois apontadores são eficientes no início, mas suas lâminas perdem o fio com muita facilidade.


Fonte: http://dearlissy.blogspot.com.br/2011/05/sharpening-pencil-with-knife.html

A mídia de suporte para se trabalhar com lápis geralmente é papel, mas alguns artistas exploram possibilidades com madeira ou tela.

Um dos motivos da popularidade do lápis é sua facilidade em ser apagado. As borrachas mais comuns são feitas de plástico ou vinil. Borrachas maleáveis são práticas para clareamento de traços leves.

Fonte: http://thevirtualinstructor.com/blog/different-types-of-erasers

Os Tipos de Grafite

Os grafites são classificados em H, F e B. Os lápis da linha H (Hard) são usados para traços firmes, fluentes, lineares, hachuras, e volumes. São grafites mais duros. Os lápis B (Bold) são mais macios, e indicados para esboços leves, sombreados e finalizações com linhas aveludadas. O lápis F (Fine Point) é muito parecido com o lápis HB, que mescla característica dos lápis mais duros com os mais macios. Quanto maior o número na classificação do lápis, maior sua rigidez ou maciez (2H, 3H, 6H, 4B, 6B, 9B...)

As lapiseiras também possuem grafites variados para escolha do artista, tanto nos diâmetros (0.1, 0.3, 0.5, 0.7, 0.9, 1.6, 12mm...) quanto na caracterização do traço (H e B).


Fonte: https://www.pencils.com/blog/hb-graphite-grading-scale/

Trabalhando as Tonalidades

Existem diversas formas para criar tonalidades em um desenho feito à lápis. Os três mais comuns são: hachuras (lineares ou cruzadas), sombreado e sombra com borrão (usando esfuminho, que é um rolinho de papel prensado, um pedaço de papel ou o próprio dedo). Mas pode-se fazer pontilhados e linhas, além de clareamentos feitos com borracha.

Hachuras
A4 Sketchbook Canson - Lemmy Kilmister - Motorhead by Penerari
Fonte: http://penerari.deviantart.com/art/A4-Sketchbook-Canson-Lemmy-Kilmister-Motorhead-339374615?q=gallery%3APenerari%2F861170&qo=32

Sombreado

Fonte: http://t-emanuel.deviantart.com/art/El-mariachi-179997445


Sombra com Borrão:

Fonte: http://www.caricature.com.sg/2007/12/a2-size-portrait-in-pencil.html

Experimente conhecer lápis de diferentes durezas e formas, como barras de grafite quadradas e hexagonais,

Agora que você aprendeu um pouquinho da história e do uso do lápis de grafite, que tal experimentar um pouco deste material e produzir belíssimos trabalhos? Mãos à obra!

Prof. Emerson Penerari
(com o auxilio dos livros Manual do Artista, de Ray Smith, e Fundamentos do Desenho Artístico, de Gabriel Martín Roig)






Um comentário:

Cassia Costa disse...

Adorei essa postagem!! Muito legal mesmo! Beijos