quinta-feira, 10 de abril de 2014

A Banalização da Palavra "Arte" Parte II

Escrevi um ensaio sobre a má utilização da palavra "Arte" para definir ou colocar termo em determinados aspectos da produção humana das quais discordava. Se quiserem ler a respeito, cliquem aqui!

Na primeira vez ataquei, entre outras coisas, os movimentos artísticos Performance e Instalação, cujas manifestações, em suas origens, são baluartes da arte contemporânea, mas que foram distorcidas ao longo dos anos (como tudo o que o ser humano vem fazendo no universo), tornando os recentes artistas adeptos dessas manifestações grandes inúteis com uma necessidade muito maior de mostrar ao mundo o próprio ego do que passar uma mensagem. Ainda considero relevante estudar a respeito nas aulas de História da Arte ou em cursos superiores de arte, mas me parece desnecessário pedir aos alunos que montem uma instalação ou executem uma performance. Mestres da pintura, da escultura e da gravura não necessariamente eram bons em Instalação e Performance.

http://www.culturapara.art.br/artesplasticas/marconemoreira/vestigios-2006-madeira-e-po-de-marmore-instalacao-realizada-no-museu-de-arte-da-pampulha-BH.jpg
 http://www.culturapara.art.br/artesplasticas/marconemoreira/vestigios-2006-madeira-e-po-de-marmore-instalacao-realizada-no-museu-de-arte-da-pampulha-BH.jpg

http://2.bp.blogspot.com/-DEo6mLTft6g/TnookhM_yBI/AAAAAAAABXQ/hdpOBldI-V4/s400/festival1-232.jpg
http://2.bp.blogspot.com/-DEo6mLTft6g/TnookhM_yBI/AAAAAAAABXQ/hdpOBldI-V4/s400/festival1-232.jpg

Mas falemos de outras banalizações hoje. Com o avanço das mídias sociais e a fácil visualização de tudo o que nos rodeia, alguns erroneamente chamados "artistas" (recém-formados ou não) passaram a buscar formas de chamarem mais atenção e se destacarem dos demais, o que levou técnicas e manifestações das mais ridículas, em nome da "arte".

É revoltante lembrar que, para muitos curadores, críticos e acadêmicos do ramo das artes, a Ilustração é rejeitada, pois está mais ligada à publicidade e à mídia informativa. Trabalhos como colagens, gravuras, fotografias e grandes nomes como Norman Rockwell, Frank Frazetta e Rebecca Guay foram e são desprezados por produzirem material para a mídia de massas, enquanto ociosos que se formaram em Artes Visuais em alguma universidade por aí expõem suas vergonhas alheias em galerias pelo mundo vendendo obras de gosto duvidoso por preços absurdos. Vale lembrar que apenas recentemente Norman Rockwell recebeu o seu devido valor e uma de suas ilustrações para a capa do Saturday Evening Post foi vendida merecidamente por US$ 46 milhões (veja link abaixo). Até o mercado de artes originais de páginas de quadrinhos vem sendo valorizado, mesmo sendo poucos os artistas desse ramo que tenham obras suas em galerias de arte moderna e contemporânea.

'Saying Grace', de Norman Rockwell
http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/saying-grace-de-rockwell-e-a-pintura-americana-mais-cara-ja-leiloada

Enquanto isso, bizarrices continuam surgindo aqui e no exterior, como uma moça que vomita tinta e um rapaz que pinta gatos em telas utilizando suas fezes, urina e pelos de gato. Não me digam que isso é arte, por favor. Ainda me parece que o intuito é apenas chocar. Links abaixo (por sua conta e risco).

Arte mo-der-na: obra de MIllie Brown (à esquerda) e detalhe da artista durante 'processo de criação'
http://noticias.uol.com.br/tabloide/ultimas-noticias/tabloideanas/2011/04/01/artista-inglesa-pinta-quadros-vomitando-agua-colorida-sobre-tela.htm


A artista usa os animais como inspiração para suas pinturas

http://www.rac.com.br/_conteudo/2012/12/blogs/olha_so/17000-artista-pinta-retratos-de-gatos-com-tinta-feita-das-fezes-do-animal.html

Ou ficar famoso como mostra o recente caso do garoto em Milão que destruiu uma escultura de mais de 200 anos só para ter uma foto de si mesmo (fotografia é arte , lembram-se? Notaram como, desde que surgiram os celulares com câmeras, todos se tornaram "excelentes" fotógrafos?)

Estátua do século 19 teve a perna quebrada por jovem que tentou tirar 'selfie' com ela
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/03/1428036-jovem-quebra-perna-de-estatua-do-seculo-19-ao-tirar-selfie-com-ela.shtml

Ou talvez o intuito seja salvar o mundo, como uma velhinha na Espanha que resolveu restaurar um afresco com seu estilo contemporâneo de arte que ninguém (inclusive eu) compreendeu.

Idosa tenta recuperar pintura do século 19 e acaba estragando a tela. Na montagem, é possível ver a pintura em boas condições (esq.), a obra danificada pelo tempo (meio), e, por fim, a "restauração" feita pela idosa (dir.)
http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/velhinha-estraga-afresco-do-seculo-xix-na-espanha

Bom, se ainda ficaram as dúvidas, como por exemplo: "o que difere um artista de um gênio?", basta ler biografias de verdadeiros artistas que ousaram e revolucionaram, e depois leiam as entrevistas e comentários dos pseudo-artistas falsários em blogs e redes sociais e tirem suas próprias conclusões. Gênios? Temos Michelângelo, Dalí, Klimt, Tarsila, Frida e outros. Quem espirra tinta pelos olhos não merece figurar ao lado desses nomes.

Artista argentino faz pinturas bizarras ao espirrar tinta com os olhos
http://www.montecastelo.sc.gov.br/gerais/2162/artista-argentino-faz-pinturas-bizarras-ao-espirrar-tinta-com-os-olhos.php

Futuramente voltarei a falar da banalização da palavra "Arte". Busquemos significados contundentes até lá. Um post recente da Professora Gisela abordou um pessoal bem atual que produz arte muito bem feita, que tal conhecê-los melhor? http://blogdaanima.blogspot.com.br/2014/01/arte-que-te-quero-nova.html

Professor Emerson L. Penerari, da Ânima


Nenhum comentário: