quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

A Importância do "ERRAR"!

E ai galerinha?! Tudo certo? Hoje resolvi falar sobre um assunto que leva muuuuuitos alunos e também alguns profissionais à loucura: o ERRO! Sim! Aquele traço que saiu torto, a construção que não ficou igual, toda e qualquer situação que te leva a acabar com sua borracha ou pior: rasgar e jogar tudo no lixo!


Fonte: http://uploads4.wikiart.org/images/gustave-courbet/the-desperate-man-self-portrait-1845.jpg

Nessa última semana, me deparei com três situações distintas desse mal necessário:

Primeira situação - Diante da referência proposta pelo professor, o aluno hesita inúmeras vezes antes de começar a desenhar. O professor questiona e o aluno responde que ele não é capaz de fazer aquilo.

Segunda situação - Em uma conversa sobre cursos de desenho, o sujeito diz que "não gosta de errar".

Terceira situação - Depois de ter desenhado boa parte da construção do personagem, o aluno percebe que tem algo errado. Ele chama o professor e, juntos, descobrem e apontam os erros e pontos que deveriam ser corrigidos ou poderiam ser melhorados. Então, o próprio aluno sugere pegar outra folha e começar outra vez.

Os três perfis são ótimos exemplos para discutirmos a importância do errar na aprendizagem.


Fonte: http://3.bp.blogspot.com/-GlBy4o_xTwo/TywtTN4d5NI/AAAAAAAAAj8/Ul7a3kgl08E/s1600/tumblr_lqcn03kyOx1qfz23mo1_500.jpg

Na primeira situação o aluno se priva da experiência, da chance de produzir, apenas por conta do medo de errar, sem nem ao menos iniciar o trabalho, sem tentar. Nesse caso, ele está se privando também do aprendizado baseado na experiência, pois através do erro o professor pode ajudar e orientar o aluno a encontrar e solucionar os problemas e , a partir disso, o aluno se torna mais atento, evita um segundo erro e cria sua própria bagagem.


Fonte: http://d1zz40u9k56ldt.cloudfront.net/sites/default/files/resources/the_frustrated_artist_by_blotoangeles_1.jpg

Nosso segundo caso, um perfeccionista, quer que tudo esteja sempre perfeito. Esse é seu objetivo. Ótimo! Excelente! Desde que essa busca pela perfeição não interfira no processo de aprendizagem. Em muitos casos, o aluno não tolera ser corrigido ou orientado. Fica irritado caso o professor aponte algum tipo de irregularidade. E esse tipo de atitude destrói um processo muito importante: Perceber, Aceitar e Aprender com o erro. O aluno se permite errar, mas não aceita ou tolera que tenha errado, e isso faz com que ele não aprenda com a experiência que teve.


Fonte: http://mocoloco.com/art/archives/hobbs_perfectionist_nov_05.jpg


E, finalmente, chegamos ao nosso caso três! Que simplesmente é um resumo do processo de aprendizagem: Ele faz/produz sem medo; erra; se permite ser orientado e ajudado pelo professor; percebe e aceita o erro; e por fim decide começar o processo de produção novamente, mas agora tendo consciência da experiência anterior e pronto para as novas!


Fonte: http://braingym101brainmovesclasses.com/wp-content/uploads/2011/11/iStock_000017085936Medium15.jpg

Para concluir nosso pensamento, conversando com a Prof.ª Ivinny, de Arte para Crianças, ela nos passou a seguinte abordagem:

"Os erros constituem parte fundamental da educação. Através da consciência dos mesmos o aluno é lançado na sua própria estética e no seu jeito de fazer arte. O erro é a base daquilo que se quer (estilo/estética), faz parte do desenvolvimento estético de cada um."


Fonte: http://www.tipsontalking.com/wp-content/uploads/2012/04/proud-artist.jpg

E é isso ai! A mensagem que fica é: Não se apegue demais aos erros, ou se prive de desenhar por medo deles! ERRE! Errar fará você crescer, você melhorar! Não apague seus desenhos antes de mostrar ao professor, ele está ali para te orientar. Vamos desvendar esses erros juntos! E sempre, SEMPRE, buscar nosso crescimento e melhora! Certinho!?

Espero que tenham gostado!
Até a próxima!

Fábio Vieira
Coordenador.

Um comentário:

videos disse...

Excelente reflexão. Aprendemos com os erros.o importante é bao desistir.