quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Grandes Artistas: Frank Miller vem ao Brasil!

Saudações, galera das artes! Já visitaram a exposição "Páginas" da Ânima Academia de Arte na Livraria Saraiva do Shoppinh Iguatemy em Campinas? O que acharam?


Fonte: http://www.universohq.com/wp-content/uploads/2015/10/FrankMiller.jpg

Essa semana fomos atingidos com uma notícia bombástica para os fãs de Quadrinhos e de boa arte: o mestre Frank Miller virá ao Brasil como convidado de honra da Comic Con Experience (CCXP) 2015! Isso mesmo, pela primeira vez em nosso país, um dos roteiristas/desenhistas mais cultuados das HQs norte-americanas topou participar do evento para divulgar seu mais recente lançamento: O Cavaleiro das Trevas III (a ser lançado em Novembro nos EUA e em Janeiro por aqui). Além de palestras, ele autografará suas obras tão queridas pelos leitores dessas paragens, como sua fase na revista do Demolidor, Demolidor: A Queda de Murdock e O Homem Sem Medo, Ronin, Eu-Wolverine, Batman: Cavaleiro das Trevas I e II, Ano Um, Sin City, Elektra: Assassina, Elektra Vive, 300, Hard Boiled, Grandes Astros Batman&Robin Terror Sagrado, entre outras.

O feito gerou alarde, tanto da parte dos que amam seu trabalho, tanto daqueles que acham que Miller andou cometendo alguns enganos gráficos nos últimos anos; até aqueles que discordam de sua posição política (?!?) resolveram incendiar as redes sociais com a notícia.


Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/71/Frank_Miller.jpg

Mas independente de sua vida pessoal, conforme citado acima, suas obras são marcos de sucesso incontestáveis, e seu nome no mercado de quadrinhos é sinônimo de vendas. Impossível não reconhecer sua importância e influência no que foi feito na área nos últimos 30 anos. Juntamente com os ingleses Alan Moore e Neil Gaiman, o americano é responsável pela mudança narrativa e visual que os quadrinhos sofreram nos anos 80. Quer exemplos? Vamos lá:

- Frank Miller era um jovem desenhista de fanzines e quadrinhos menos comerciais no final dos anos 70 e, ao ser notado por Neal Adams e Jim Shooter, começou sua carreira na Marvel com Homem Aranha, Tomb Of Dracula e Cavaleiro da Lua.


Fonte: http://41.media.tumblr.com/15cc973a47881dc0bf9d5f8632918fd4/tumblr_mlilviPEqP1rhjbado1_1280.jpg

- Em 1979 passou a desenhar o Demolidor (Daredevil) e, após se juntar a Denny O'Neill nos roteiros e posteriormente se tornar também o roteirista, tirou a revista de seu cancelamento iminente. A forma narrativa inspirada nos mangás e o dinamismo alavancaram as vendas e tornaram algumas de suas criações como a ninja Elektra e o também cego Stick personagens fundamentais na mitologia do Herói.


Fonte: https://nothingbutcomics.files.wordpress.com/2015/04/daredevil-168-ending-frank-miller.jpg

- Após deixar Daredevil, Miller participou de outras revistas da Marvel, culminando em uma minissérie do Wolverine escrita pro Chris Claremont que valorizou mais ainda o personagem canadense.


Fonte: http://media.comicbook.com/uploads1/2014/10/wolverine-1-covr-109221.jpg

- Seu sucesso seguinte foi Ronin, para a DC em 1983, uma homenagem aos mangás (foi graças ao fanatismo de Frank pelo estilo que Lobo Solitário foi lançado nos EUA), que mescla cultura oriental e ficção científica em uma história futurística com enredo genial.


Fonte: http://www.superamiches.com/wp-content/uploads/2014/04/Ronin_3_01.jpg

- Em 1986 saiu Batman: O Cavaleiro das Trevas (Batman: The Dark Knight Returns), a história que consolidou Miller no estrelato da arte sequencial e também é referência para qualquer pessoa que deseja se aprofundar na mitologia do homem-morcego. Só essa história (novamente ambientada em um futuro distópico) já merecia uma matéria inteira neste Blog (quem sabe?). Com arte-final de Klaus Janson e cores de sua então esposa Lynn Varley.


Fonte: http://photos.imageevent.com/batmanonfilm/bofimages/frankmiller-dkr-love-01.jpg

- De volta à Marvel, três lançamentos imperdíveis mantiveram o nome do artista em alta: Demolidor: A Queda de Murdoch (com arte de David Mazzucchelli), Demolidor: Amor e Guerra e Elektra: Assassina (ambas ilustradas por Bill Sienkiewicz).


A Queda de Murdoch. Fonte: http://cdn.bleedingcool.net/wp-content/uploads/2015/04/BC_24-600x887.jpg


Elektra: Assassina. Fonte: https://wilsonknut.files.wordpress.com/2007/12/elektra3.jpg

- Após O Cavaleiro das Trevas, Batman ainda ganharia outra minissérie essencial. Com a reformulação dos Super-Heróis da DC na a saga Crise Nas Infinitas Terras, os principais personagens tiveram suas origens recontadas e atualizadas. Coube a Miller escrever (e David Mazzucchelli desenhar) Batman: Ano Um, que já nasceu classica!


Fonte: https://nomiresdebajodelacama.files.wordpress.com/2013/12/wpid-photo-14-d0b4d0b5d0ba-2013-d0b3-1049.jpg

- Discordando de algumas novas regras da DC e triste por ter perdido controle sobre suas criações na Marvel, Frank passa a publicar pela Editora Dark Horse (não antes de lançar a maravilhosa Graphic Novel Elektra Vive!), iniciando com Hard Boiled (com desenhos de Geoff Darrow), Liberdade: Um Sonho Americano (com Dave Gibbons) e Robocop vs Terminator. Mas seu momento magnífico na editora foi a criação da saga de Sin City. Com um visual mais moderno, a narrativa cheia de ação e referências aos filmes Noir e personagens amorais, porém cativantes, suas histórias conquistaram crítica e público e deram um novo significado ao termo "quadrinhos adultos".


Fonte: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/4b/0b/8d/4b0b8d6c26b29eea7b99ca6ad8bd06a8.jpg

- Nessa época ele passa a escrever roteiros para o cinema, participando de Robocop 2, 3, e futuramente, Sin City, 300, The Spirit (nem sempre alcançando a mesma qualidade que seus quadrinhos).


Fonte: http://1.bp.blogspot.com/-dOMvdDhJ56E/UwciLf1W_NI/AAAAAAAAFB8/OEhQhwYiMc8/s1600/still-of-nancy-allen-and-peter-weller-in-robocop-2-%25281990%2529-large-picture.jpg

- Em 1993, mais uma vez na Marvel, ele publica ao lado de John Romita Jr Demolidor: Homem Sem Medo, uma recontagem da origem do herói cego, influenciando novamente tudo o que foi feito para Matt Murdoch a partir de então.


Fonte: http://i2.wp.com/nerdswole.com/wp-content/uploads/2015/04/3AooHEv.jpg

- Na Dark Horse, Big Guy And The Rusty Robot (com Geoff Darrow) e 300 (Os 300 de Esparta), mantiveram seu nome no topo em uma época em que a Marvel e a DC careciam de roteiros cativantes.


Fonte: https://littledailyprophet.files.wordpress.com/2006/11/300-023.jpg

 - A partir de 2001, alguns seus trabalhos lançados foram um tanto incompreendidos, como Cavaleiro das Trevas 2 (um roteiro criticando o estilo americano, com uma arte experimental e corres digitais horriveis), Grandes Astros: Batman & Robin (com Jim Lee, um roteiro fraco dando a impressão que foi feito apenas para ganhar dinheiro) e ainda Terror Sagrado, uma história que era para ser do Batman, mas foi rejeitada e lançada com outro herói "adaptado" às páginas, narrando uma luta contra os terroristas do Oriente Médio.


All-Star Batman&Robin. Fonte: https://pbs.twimg.com/media/B72220gIgAACVd-.jpg

- Então esse ano foi anunciada a terceira parte de Cavaleiro das Trevas, com Brian Azzarello co-escrevendo e desenhos de Andy Kubert e Klaus Janson. Torçamos para que seja um sucesso!


Fonte: http://www.flickeringmyth.com/wp-content/uploads/2015/09/batman-dk3-600x922.jpg

Ufa! Aí estão algum dos motivos para você sair correndo atrás do meterial desse grande escritor e desenhista, e também um motivo para mostrar porque sua vinda à CCXP 2015 é tão esperada e aclamada!

Infelizmente, a saúde de Miller está um tanto debilitada, apesar de sua pouca idade (58 anos), mesmo assim ele é visto até com certa freqüência nos eventos de seu país. Torçamos para que se recupere e continue produzindo, pois o mundo ainda precisa de boas histórias, e este é um dos melhores contadores que já tivemos!

Deixo aqui mais uma dica: leiam o livro "Eisner/Miller" um apanhado de entrevistas entre esses dois grandes artistas compilado por Charles Brownstein em 2005, lançado no Brasil pela Editora Criativo no ano passado.

Para mais informações sobre o evento Comic Con Experience, visite: http://www.ccxp.com.br/

Emerson Leandro Penerari
Professor

Nenhum comentário: